Blog da NatusVita

Jejum Intermitente: tudo o que que você deve saber

Jejum intermitente O que é?

Para quem acompanha as tendências do universo da alimentação e tudo que envolve os cuidados com a saúde e a perda de peso, o tema “jejum intermitente” não deve ser uma novidade. Cada vez mais pessoas tem se tornado adeptas desse estilo de vida que tem como uma de suas consequências um processo de emagrecimento eficiente e, aparentemente, mais saudável.

Mas afinal, o que é o jejum intermitente? Como ele funciona e quais os benefícios ou malefícios para minha saúde? Nesse artigo contamos tudo que você deve saber sobre esse tema!

O que é o jejum intermitente?

O jejum intermitente, antes de qualquer coisa, não pode ser considerado uma dieta – até mesmo porque ele não se baseia na redução ou exclusão de algum alimento ou grupo alimentar específico. O jejum intermitente é uma prática que tem como consequência a perda de peso de maneira natural e mais saudável para o indivíduo que opta em adicioná-lo em sua rotina.

Ele nada mais é do que uma rotina alimentar que intercala períodos de alimentação com períodos de completo jejum, com o intuito de estimular o organismo humano para utilizar os estoques de gordura que temos espalhados pelo corpo. Dessa maneira, o indivíduo que, teoricamente, pratica o jejum intermitente, tem maior possibilidade de utilizar a massa gorda como fonte de energia ao invés da massa muscular.

O período de jejum varia muito de acordo com a indicação de cada profissional e, até mesmo, com a tolerância do paciente. Em média pratica-se cerca de 10 a 24 horas de jejum para garantir essa ativação do processo de queima de gorduras pelo organismo.

Esse é um método considerado natural visto que o humano sempre praticou o jejum, especialmente quando ainda era responsável por caçar aquilo que ele precisa comer. Por isso, nosso organismo está adaptado a esse tipo de situação extrema.

Por que as pessoas tem escolhido o Jejum Intermitente para emagrecer?

O jejum intermitente tem sido escolhido por muitas pessoas que querem emagrecer por conta de seus excelentes resultados na saúde e no peso. No período de jejum o organismo consegue reduzir os níveis de glicose no sangue, diminuindo também os níveis de insulina e aumentando o do hormônio glucagon, que favorece a queima de gordura.

Com esse hormônio mais tempo circulando no sangue – afinal, os períodos de jejum podem chegar a até 24h – ele tem mais tempo para quebrar gorduras e reduzir sua concentração no organismo. Tudo isso, entretanto, deve ser feito com cautela e, especialmente, com aprovação e acompanhamento de um médico familiarizado com a técnica.

Como é feito o jejum intermitente?

Como o próprio nome já indica, jejum intermitente é um processo que intercala os períodos de jejum com outros com alimentação normal. O tempo de jejum é definido de acordo com o profissional que vai acompanhar o paciente, que determina qual a melhor maneira para ele intercalar alimentação e jejum de acordo com seu perfil corporal e clínico.

O jejum intermitente mais comum é aquele de 12 horas, em que o paciente passa metade do dia sem comer – apenas ingerindo líquidos de baixa ou nenhuma caloria – e tem direito a comer durante a outra metade do dia. Ele é iniciado geralmente à noite, para que o paciente possa aproveitar o período do sono para conseguir enfrentar o tempo de jejum.

Em outro método tradicional, o paciente pode ficar até duas vezes na semana de jejum completo, durante 24h, voltando a alimentação tradicional nos outros dias. Esse, geralmente, é indicado para pacientes com mais experiência na prática do jejum intermitente.

Vale lembrar que, nos períodos de alimentação, o paciente também deve ter cuidado com o que coloca no prato. É importante preferir alimentos ricos em fibras e que ajudam na saciedade, além de nutricionalmente ricos. Por isso, legumes, verduras, frutas, cereais integrais e carnes magras são os favoritos.

Jejum Intermitente Como Fazer?

Qualquer pessoa pode fazer o jejum intermitente?

O jejum intermitente não é uma prática recomendada para qualquer pessoa. Ele não deve ser praticado em gestantes, lactantes, crianças, adolescentes, pacientes com doenças crônicas (como hipertensão e diabetes) e para quem sofre com algum tipo de distúrbio alimentar ou psicológico, que possa sofrer com os quadros de jejum prolongado.

Para todos os outros pacientes que não têm essas contra-indicações é indispensável a realização do jejum intermitente com um acompanhamento médico, para evitar danos à saúde.

Quais são as vantagens e desvantagens desse processo?

Como qualquer outra prática alimentar, o jejum intermitente conta com vantagens e desvantagens para a saúde, que precisam ser acompanhados de perto para que estejam sempre em equilíbrio no organismo do paciente.

Suas vantagens são:

  • Maior controle da glicemia e insulina no sangue;

  • Maior sensação de disposição;

  • Melhor funcionamento do coração;

  • Perda de peso eficiente.

Como desvantagens é possível citar:

  • Dificuldade de adaptação por boa parte dos pacientes;

  • Quadros indesejados de hipoglicemia e mal estar;

  • Desnutrição, desidratação e sensação de fraqueza muscular;

  • Dificuldades de concentração.

O uso de suplementos pode auxiliar na realização do jejum?

O uso de suplementos alimentares, especialmente no período em que está autorizado comer, pode ser muito importante para o paciente em jejum intermitente. Alguns suplementos podem favorecer a sensação de saciedade, tornando o período de jejum mais fácil, como também podem auxiliar na reposição vitamínica e de minerais que são perdidos nessa etapa.

Esses suplementos, entretanto, devem ser utilizados após prescrição médica ou nutricional e jamais devem ser adicionados na alimentação sem a orientação desses profissionais.

Alguns dos suplementos que funcionam bem para praticantes do jejum intermitente são o Whey Protein (para proteger e repor a massa magra perdida), os aminoácidos como os BCAA, que também ajudam no processo de recuperação e os suplementos a base de carboidrato como a Dextrose e o Waxy Maize, que auxiliam na normalização da energia que foi gasta. As fibras alimentares, podem aumentar a sensação de saciedade no período pré jejum, por isso, elas também são muito importantes nesta estratégia alimentar.

A realização do jejum intermitente é uma prática segura se você contar com suporte profissional durante todo o período. Não tente fazê-lo sozinho!

Você já conhecia o jejum intermitente? Já praticou? Conte para a gente suas opiniões e experiências sobre o tema!

Responder