Blog da NatusVita

Iodo + Iodeto (Lugol): O que é? Quais os seus benefícios?

O que é Lugol?

Lugol é uma formulação composta por 5% de Iodo e 10% de Iodeto de Potássio. O consumo do Iodo + Iodeto (Lugol), visa adequar a ingestão diária de Iodo, garantindo o aporte necessário desse nutriente. Muitos órgãos necessitam de Iodo para o seu pleno funcionamento como o esôfago, fígado, estômago, próstata, mama, ovários e pele.

Iodo X Metabolismo

Iodo x metabolismo

Além disso, é atribuído ao Iodo um efeito detox, pela sua capacidade de remover do corpo metais pesados como chumbo, flúor, mercúrio…

Qual a importância do Iodo?

Iodo

Mineral Iodo

O Iodo é um micronutriente essencial para o homem, é encontrado nos hormônios fabricados pela glândula tireoide, T3, T4 e TSH, por isso, tem a função de participar da síntese dos hormônios produzidos pela tireoide.

Os hormônios triiodotironina (T4) e a tiroxina (T3), têm dois importantes papéis: atuam no crescimento físico e neurológico e na manutenção do fluxo normal de energia, principalmente na manutenção do calor do corpo. O Iodo é um mineral muito importante para o organismo humano porque:

  • Auxilia no crescimento e no desenvolvimento normal do organismo;
  • Promove o crescimento e o desenvolvimento normal do cérebro;
  • Contribui para a saúde, mantendo em equilíbrio as funções do organismo;
  • Melhora a capacidade física e mental;
  • Garante o pleno controle e funcionamento do metabolismo humano.

Deficiência de Iodo

Estima-se que 2 bilhões de pessoas no mundo, em especial nos países menos desenvolvidos, apresentem risco de deficiência de Iodo. Estes indivíduos podem ter uma deficiência de Iodo moderada, mesmo quando não é evidente o desenvolvimento de doenças. Em crianças em idade escolar, a deficiência de Iodo está associada à cognição precária. A deficiência de Iodo é a causa evitável mais comum de deficiência mental no mundo.

Deficiência de Iodo

Entendendo melhor sobre o Bócio:

No Brasil, o Bócio já foi considerado um problema de saúde pública. O Bócio é uma doença de evolução lenta, caracterizada pela hipertrofia compensadora da glândula tireoide. Com o decorrer do tempo, surgem formação de nódulos, inclusive com algumas formações císticas, podendo levar a fenômenos compressivos, hemorragia, dor e supuração, podendo ainda estar associados a processos malignos (câncer).

Em regiões de Bócio endêmico o câncer da tireoide tem sua incidência aumentada. A prevenção com uso de Iodo tem efeito na incidência de câncer da tireoide.

Iodo + Iodeto (Lugol)

Iodo + Iodeto (Lugol) da NatusVita.

Coincidência ou não, uma pesquisa literária revelou que 60 milhões de japoneses consumem uma média diária de 13,8 mg de Iodo e são uma das nações mais saudáveis, com base no bem-estar geral e estatísticas de câncer.

A quantidade de Iodo presente nos alimentos é baixa e suas maiores fontes são: peixes, carnes e derivados do leite. Por isso, a suplementação com Iodo + Iodeto (Lugol) torna-se um meio eficaz, seguro e simples de compensar a deficiência de Iodo no organismo.

O Iodo + Iodeto (Lugol) fornece 100% do Índice Diário Recomendado de Iodo para adultos e tem seu consumo facilitado por ser em cápsulas.

Onde Comprar Iodo + Iodeto (Lugol)

Clique ao lado para comprar Iodo + Iodeto (Lugol).
Pague em até 10X sem juros.
Ou 5% de desconto no pagamento com boleto.

Referências bibliográficas:

ESCOTT-STUMP, S.; MAHAN, L. K. Krause: Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. Rio de Janeiro: Elsevier, 12ª ed.2010.

KNOBEL, M.; MEDEIROS-NETO, G. Moléstias associadas à carência crônica de iodo. Arq Bras Endocrinol Metab,  São Paulo,  vol. 48, n. 1, pp. 53-61. Fevereiro de 2004.

MACEDO, M. S. et al . Deficiência de iodo e fatores associados em lactentes e pré-escolares de um município do semiárido de Minas Gerais, Brasil, 2008. Cad. Saúde Pública,  Rio de Janeiro,  vol. 28, n. 2, pp. 346-356. Fevereiro de 2012.

ROBERTI, A. ; RAPOPORT, A. Estudo da prevalência das doenças tireoidianas em pacientes tireoidectomizados no Hospital da Santa Casa de Goiânia. Rev. Col. Bras. Cir.,  Rio de Janeiro,  vol. 32, n. 5, pp. 226-228. Outubro de 2005.

Responder