Blog da NatusVita

Arginina – O que é? Para que serve? Benefícios

Arginina

Quem frequenta ambientes de academia ou treinos funcionais, muito provavelmente escuta falar de vários produtos nutricionais nas conversas de vestiário que rolam nesses locais. Um dos produtos mais citados, junto com o Whey Protein, a Creatina e o BCAA é a Arginina, mas nem todo mundo sabe o que é isso e como usufruir desse produto da maneira certa.

Você é um dos interessados em conhecer mais a fundo as características da arginina? Confira o artigo abaixo sobre o tema!

O que é a Arginina?

A Arginina é um aminoácido considerado essencial para o organismo humano, também sendo chamado como L-arginina ou ácido 2-amino-5-guanidino-pentanoico por alguns especialistas em saúde e alimentação humana.

Um aminoácido essencial é aquele que não pode faltar na alimentação humana, visto que sem ele várias funções metabólicas específicas do organismo podem ser prejudicadas com a ausência do composto.

Além de consumida em sua forma pura, a arginina também pode ser metabolizada pelo organismo humano após a ingestão de moléculas de proteínas, visto que uma das capacidades do corpo é quebrar essa molécula em vários aminoácidos para utilização em funções diferentes na nossa saúde.

Em indivíduos com baixa ingestão proteica – ou com demanda elevada desse nutriente em seu organismo – a suplementação de arginina é considerada necessária para manutenção da saúde corporal.

Quais são as principais fontes de Arginina da alimentação?

Como afirmamos anteriormente, a Arginina é um aminoácido que deve ser consumido na alimentação diária, visto que é considerado essencial para o nosso funcionamento corporal. Por isso, é importante conhecer as principais fontes desse produto para a nossa saúde.

De maneira geral, todo produto com boa concentração de proteína em sua composição pode ser considerado uma fonte de Arginina, visto que o corpo é capaz de transformar as moléculas de proteína em aminoácidos específicos. Entretanto, alguns produtos alimentares podem ser mais capazes que outros no fornecimento desse aminoácido tão essencial. Alguns desses produtos são:

  • Leguminosas como a soja, o feijão, a ervilha e o grão de bico;
  • Todas os tipos de carnes e peixes;
  • Frutos do mar em geral;
  • Ovos e produtos derivados desse alimento;
  • Oleaginosas como as nozes, amendoim, pistache, castanhas e avelãs;
  • Leite e seus derivados;
  • Frutas como a melancia, o morango, o kiwi e a uva.

Além desses compostos, a Arginina também é um produto facilmente encontrado em sua forma isolada, podendo ser consumido em cápsulas de acordo com orientação profissional quando for necessário.

Para que ela serve?

A Arginina pode ser utilizada para várias finalidades no organismo humano. De maneira geral, esse é um aminoácido que conta com grande atuação no nosso sistema imunológico, visto que é responsável por reduzir o risco de infecções no organismo, melhorar a cicatrização de feridas e lesões e também atuar de maneira mais generalista na recuperação de quadro de câncer, cirurgias e outras doenças crônicas graves.

Esse mesmo aminoácido atua no controle do fluxo de sangue no corpo, tratando quadros de inchaço e até mesmo de dor. Ainda tem participação no processo de síntese do colágeno que beneficia a pele e também tem ação antioxidante importante para evitar a ação de radicais livres nesse tecido.

Na atividade metabólica, a arginina conta com função importante na capacidade do organismo em usar as moléculas de glicose para transformar em energia. Exatamente por isso é muito valorizada por praticantes de atividades físicas e, principalmente, atletas de ponta.

Arginina

Quais são os benefícios de consumir Arginina?

Consumir arginina pode trazer muitos benefícios para a saúde de indivíduos com necessidades completamente diferentes. Como esse é um aminoácido essencial para o funcionamento do organismo humano, a versatilidade é uma de suas principais características quando o assunto é melhorar algum aspecto da nossa saúde.

Alguns dos principais benefícios do consumo da arginina que são reconhecidos pela medicina e ciência da nutrição são:

  • Capacidade de melhorar o transporte de nitrogênio;
  • Acelerar o processo de cicatrização de feridas
  • Fortalecer o sistema imunológico;
  • Inibir o crescimento de células tumorais em diferentes tecidos corporais;
  • Regeneração celular de diversos tecidos e sistemas corporais, como pele, ossos, tendões, espermas e células reprodutoras;
  • Desenvolvimento da massa muscular;
  • Maior produção de energia e recuperação para praticantes de atividades físicas;
  • Boa resposta anti-inflamatória;
  • Maior proteção do sistema cardiovascular como um todo;
  • Reparação de vasos sanguíneos;
  • Controle da pressão arterial;
  • Redução de dores e desconforto muscular;
  • Melhora da função renal;
  • Melhora da função mental;
  • Boa ação antioxidante para todo o organismo.

Como posso consumir Arginina?

O consumo de qualquer composto proteico e de aminoácidos deve ser realizado, mesmo que através de alimentos, de maneira controlada e acompanhada por um especialista em saúde e nutrição. A ingestão excessiva desse composto pode resultar em efeitos colaterais indesejados em indivíduos de diferentes características, estruturas físicas e perfil.

Por isso, é importante ressaltar também que não existe um volume correto ou adequado de consumo de Arginina. A prescrição do volume ideal por dia deve ser feito de maneira individualizada para cada paciente, de acordo com suas necessidades clínicas, em conjunto com uma dieta balanceada.

Existe contraindicação para o uso do produto?

O uso de Arginina na forma de suplemento isolado, como em cápsulas, não é indicado para gestantes, lactentes, pacientes diabéticos e com doenças renais. O uso em crianças e adolescentes também não deve ser feito desde que exista recomendação médica específica para tal.

Arginina

Você conhecia a Arginina? Já fez uso da mesma na sua rotina? Conte para a gente suas dúvidas e opiniões sobre o tema!

Responder